Carterpillar's Nest

lightspeedsound:

gettingfitlosingfat:

escapedosmil:

noelledino:

deductionhunters:

chocolateist:

i-want-cheese:

bakaandty:

i-want-cheese:

blogorgtfo:

assbutt-in-the-garrison:

Back when I was younger and more ignorant and misinformed than I am now, one of my exes literally made me feel guilty sometimes when he got a boner and I didn’t want to “take care of him”. He claimed that it caused him a lot of pain and he said that his doctor had actually said he couldn’t leave himself in that state or else he could damage himself…. So made me feel like I HAD to give him relief even when I really did not desire to. And that sucked.

Wait… it DOESN’T hurt them?

Boys get boners all the time for no reason. No, it doesn’t hurt them. If any boy tries to tell you otherwise, run away as fast as you can because he’s lying to you for the sake of his penis.

No penis is more important than you because you are a whole person and a penis is just a spongy flab o’ flesh. 

Hahaha deff not I get boners constantly.
Math
Driving
Light
Anything causes them

Favorite answer so far.

Math.

Dicks can seriously be ridiculous at times

Hell sometimes a brisk breeze can set them off

Reblogging this for all of the girls and guys that DO NOT KNOW THIS INFORMATION.  Because this is extremely important.

HEY!!! 

HEYYYYYY!!!!

The term ‘blue balls’ isn’t actually a fucking thing. 

It was created by giant flopping douche canoes to con girls into rubbing their little dingadongs. 

I literally get 10 boners a day and never get blue balls. 

Next time someone tries to shame you into a handy, kick them in the balls and tell them “NOW YOU HAVE BLUE BALLS”

and even if this was true like why can’t these men just jack themselves off tho

(via viriassecrets)

cienciahoje:

Princesinhas, que nada: cientistas steampunk! 
A clássica animação 2D desenhada à mão, ciência com uma atmosfera steampunk, mulheres inventoras inteligentes e destemidas. Esse é o mundo apresentado por Hullabaloo, projeto autoral criado pelo artista James Lopez – veterano das animações que trabalhou em obras como O Rei Leão, A princesa e o sapo e Paperman – e que ainda envolve outros nomes com grande experiência na área.  
Uma das propostas de Hullabaloo é ‘salvar’ a animação 2D, uma arte que Lopez considera em extinção num mundo dominado pelas animações em 3D. Além disso, o projeto pretende incentivar o interesse das mulheres pela ciência e pela aventura, com personagens femininas fortes, protagonistas, destemidas e inteligentes.
A proposta fica clara no roteiro da animação: a jovem e brilhante cientista Veronica Daring volta para casa após concluir seus estudos e descobre que seu pai, um excêntrico inventor, está desaparecido. As pistas a levam a um parque de diversões usado pelo cientista para testar suas invenções, bem ao estilo das maquinárias a vapor características do steampunk. Lá encontra Jules, uma estranha menina, também inventora, que vai ajudá-la a descobrir os mistérios por trás desse desaparecimento. Imperdível, sem dúvida. 



Para conseguir recursos para sair do papel, o projeto está aberto a investidores na plataforma de crowdfunding IndieGoGo – e vem fazendo sucesso. Faltando ainda cerca de 20 dias para o fim do prazo, a meta inicial de 80 mil dólares já foi batida de longe – a verba arrecadada já chega a quase 250 mil dólares! A proposta básica de Hullabaloo é a produção de um curta-metragem caprichado, mas seus criadores não descartam que o projeto acabe se transformando numa séria animada (talvez uma websérie) ou num longa-metragem, tudo depende da arrecadação.
Se você quiser contribuir ainda dá tempo: as cotas começam com apenas um dólar e garantem o acesso a produtos exclusivos associados à produção, além do muito obrigado dos produtores e de todos nós que poderemos assistir à obra! Veja um vídeo com Lopez sobre o projeto. 

cienciahoje:

Princesinhas, que nada: cientistas steampunk

A clássica animação 2D desenhada à mão, ciência com uma atmosfera steampunk, mulheres inventoras inteligentes e destemidas. Esse é o mundo apresentado por Hullabaloo, projeto autoral criado pelo artista James Lopez – veterano das animações que trabalhou em obras como O Rei Leão, A princesa e o sapo e Paperman – e que ainda envolve outros nomes com grande experiência na área.  

Uma das propostas de Hullabaloo é ‘salvar’ a animação 2D, uma arte que Lopez considera em extinção num mundo dominado pelas animações em 3D. Além disso, o projeto pretende incentivar o interesse das mulheres pela ciência e pela aventura, com personagens femininas fortes, protagonistas, destemidas e inteligentes.

A proposta fica clara no roteiro da animação: a jovem e brilhante cientista Veronica Daring volta para casa após concluir seus estudos e descobre que seu pai, um excêntrico inventor, está desaparecido. As pistas a levam a um parque de diversões usado pelo cientista para testar suas invenções, bem ao estilo das maquinárias a vapor características do steampunk. Lá encontra Jules, uma estranha menina, também inventora, que vai ajudá-la a descobrir os mistérios por trás desse desaparecimento. Imperdível, sem dúvida. 

Para conseguir recursos para sair do papel, o projeto está aberto a investidores na plataforma de crowdfunding IndieGoGo – e vem fazendo sucesso. Faltando ainda cerca de 20 dias para o fim do prazo, a meta inicial de 80 mil dólares já foi batida de longe – a verba arrecadada já chega a quase 250 mil dólares! A proposta básica de Hullabaloo é a produção de um curta-metragem caprichado, mas seus criadores não descartam que o projeto acabe se transformando numa séria animada (talvez uma websérie) ou num longa-metragem, tudo depende da arrecadação.

Se você quiser contribuir ainda dá tempo: as cotas começam com apenas um dólar e garantem o acesso a produtos exclusivos associados à produção, além do muito obrigado dos produtores e de todos nós que poderemos assistir à obra! Veja um vídeo com Lopez sobre o projeto

Chit-chat

People say i’m good at talking, but i’m actually really shy. I van o ly talk if i’mfeeling confortable with the modo a round me, the people i’m with and what i havê to say. That’s why i think the internet is amazing. I o ly havê to worry a out if i’m OK with what i’m saying. I couldn’t vive any more shit to what people will think of me in here. In a way, i van say that i’m safe in here.
That’s all i havê to say for now.
Bye, bitches!
NL